quinta-feira, 26 de junho de 2014

Incertezas

Incertezas de uma mente confusa
Azar meu, quem vai saber?
Espero respostas de perguntas inexistentes?
Vejo coisas onde não tem ou será que tem?
Pois vejam, mais uma questão formulada

Perco horas pensando nisso
Perdido em um infinito vício de incertezas
Tento não respingar tristeza nas pessoas
Forjando às vezes uma falsa risada
Para não deixar tristes pessoas amadas

Incrédulo muitas vezes
Estou me tornando uma pedra para mim
Guardando tudo para mim
Não sei se aprendendo com a vida
Ou se por ela sendo derrotado.


Rodrigo R.P.

2 comentários:

  1. Ó mundo repleto de incertezas que tanto me rodeiam... lindíssimo poema. Não se preocupe tanto com as questões ou com as respostas,viva o presente,somente viva e as respostas virão naturalmente. Boa sorte com a tua jornada. http://luizadevaneios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, só nos resta viver. Obrigado e volte sempre.

      Excluir