sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Frascos

Talvez eu ame em doses exageradas
Eu demonstre em doses exageradas
No fim o frasco acaba
E por fim fica estilhaçado ao chão

Minha alma reproduz em excesso
Meu coração utiliza erroneamente
Joguei doses fora e quem não?
Tem quem hoje nem reproduza mais, está perdido!

Quantos frascos eu já quebrei?
Mas com muito trabalho reconstruí
Utilizo em excesso, mas são doses verdadeiras
E as pessoas, será que são?


Rodrigo Ramos Palauro

4 comentários:

  1. Me vi sorrindo ao terminar seu poema. Também sou composta de excessos. Com os quais me perco. Torço para que um dia aconteça em sua vida "uma dose verdadeira".
    Beijinhos,sucesso
    Beijinhos
    http://luizadevaneios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado. Todos esperamos pela dose verdadeira. Beijos e sucesso. :DD

      Excluir
  2. Deus, que poema adorável <3 Você escreve muito bem, parabéns!
    Beijos.
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, tento escrever, assim vou indo, :D
      Beijos.

      Excluir